fundadores e diretores

José Gazola

 

 

José Gazola nasceu em Antônio Prado em 7 de setembro de 1902. Filho de Pedro Gazola e Ana Maritan Gazola, o jovem formou-se como Técnico Rural em Viamão e foi professor em Rio Grande. Posteriormente, trabalhou em Caxias do Sul, nas firmas Amadeu Rossi e Granzotto & Cia.

 

Em 1932, fundou a firma “José Gazola e Cia.”, da qual faziam parte seus irmãos Antônio e Sylvio. Em 22 de novembro deste mesmo ano, os três instalaram a primeira fábrica no Brasil de espoletas para caça, com a razão social “Gazola Travi & Cia.”, por ocasião da associação com o empresário Marcos Travi.

Além de mentor da Metalúrgica Gazola por quase 40 anos e nome de referência no setor, José Gazola foi um dos fundadores do Rotary Clube e do Lions Clube de Caxias do Sul. Também presidiu  a Associação Comercial e o Clube Juvenil.

 

Foi casado com Odithe Silla Gazola, com quem teve dois filhos: Livio Cesar (seu sucessor na empresa) e Júlio Lúcio Gazola.

 

José Gazola faleceu em 20 de março de 1972, aos 69 anos. Empresta nome ao Senai e a uma praça no bairro Petrópolis.

José Ariodante Mattana

 

 

José Ariodante Mattana nasceu em 13 de janeiro de 1907 e teve papel fundamental no desenvolvimento de Caxias do Sul na primeira metade do século 20, atuando na administração municipal de 1929 a 1946.

 

Em 1945, José Gazola procurou Mattana na prefeitura, quando este exercia o cargo de diretor de obras. Admitido como novo cotista da Metalúrgica Gazola, exerceu diversas funções na empresa, até tornar-se subdiretor. Neste cargo, permaneceu até aposentar-se, em 1972. Foi quando passou a assessorar a direção da Gazola.

Foi fundador do Sindicato das Indústrias Metalúrgicas, Mecânicas e de Material Elétrico (Simecs), participando também em outras entidades, como a Società di Mutuo Soccorso Principe di Napoli, da qual foi o primeiro presidente.

 

José Ariodante Mattana casou-se com Anna Resende em 1930. Da união, nasceram três filhos: Beatriz, Ubirajara e Jacyra. Ele faleceu em 14 de novembro de 2000, aos 93 anos.

Ivo Antonio Gazola

    

Ivo Antônio Gazola era filho de Reinaldo Gazola, irmão de José Gazola, e Maria Gazola. Nascido em Antonio Prado, matriculou-se no curso de Perito Contador, no colégio Nossa Senhora do Carmo, em Caxias, logo após a conclusão do ginásio.

 

No dia do aniversário de 17 anos, ingressou na empresa de seu tio, José Gazola. Foi quase no mesmo ano em que, por decreto-lei do presidente Getúlio Vargas, a Gazola foi considerada de interesse militar e passou a produzir materiais bélicos para o Exército Nacional.

Na fábrica, Ivo passou do almoxarifado para a química, produzindo fulminato de mercúrio, o explosivo destinado ao carregamento de granadas. Permaneceu na função até o acidente que enlutou a firma e inúmeras famílias caxienses: a violenta explosão de 22 de julho de 1943.

 

Em 1948, Ivo Gazola casou-se com Beloni Meyer, com quem teve quatro filhos: Maria Tereza, Paulo Cesar, Luiz Alberto e Thais.

Após 1950, passou a atuar como gerente do almoxarifado da empresa, galgando depois os cargos de gerente de escritório central, gerente financeiro, gerente de vendas e, finalmente, em 1979, diretor comercial.

    

Ivo Gazola também de destacou na comunidade caxiense: foi presidente do Lions Clube de Caxias e responsável, como tesoureiro, pela construção da escola Melvin Jones. Em 1987, recebeu homenagem da ADVB – Associação dos Dirigentes de Vendas do Brasil/RS pelos 55 anos de atividades da empresa Gazola S.A. Em 2008, Ivo foi homenageado com o Mérito Metalúrgico Gigia Bandera, por sua visão estratégica, representação institucional, empresarial e defesa da livre iniciativa.

Ivo Antônio Gazola faleceu em 2012, aos 87 anos.

 

 

Lívio César Gazola

 

Lívio César Gazola nasceu em Caxias do Sul em 29 de setembro de 1928, após os  pais, José Gazola e Odithe Silla Gazola, migrarem de Antônio Prado. Ingressou na empresa do pai em 1954, inicialmente no cargo de assessor do departamento técnico.

 

Três anos depois, assumiu como chefe de compras e, em 1960, como diretor. Já em 1972, passou a ocupar o cargo de diretor presidente da empresa.

Paralelamente às atividades de empresário, Lívio desempenhou funções nos mais variados segmentos da sociedade caxiense. Nos anos de 1961 e 1962, presidiu o Rotary Clube de Caxias do Sul e, de 1962 a 1964, o Sindicato das Indústrias Metalúrgicas, Mecânicas e de Material Elétrico de Caxias do Sul (Simecs).

 

A convite do prefeito Hermes João Webber, Lívio Gazola tornou-se presidente da Festa da Uva de 1969. Participou ainda da direção do Clube Juvenil, passando a integrar, mais tarde, seu Conselho Fiscal. Na Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul (Fiergs), ocupou cargos como o de presidente do Conselho Deliberativo Superior.

Em 1987, foi homenageado com o Mérito Metalúrgico Gigia Bandera e, em 1997, recebeu a Comenda do Décimo Aniversário do Senai José Gazola – Centro de Formação Profissional. Em 1998, recebeu o título de Cidadão Emérito da Câmara de Vereadores de Caxias do Sul. Permaneceu na presidência da Gazola S.A. Indústria Metalúrgica até 2004, quando passou a integrar o Conselho de Administração da empresa.

 

Lívio casou-se em 1956 com Sandra Souza Leão de Oliveira, que conheceu durante uma viagem ao Rio de Janeiro. O casal teve quatro filhos: Luiz Eduardo, Ana Isaura, Flávia e Adriana.

 

Lívio César Gazola faleceu em 2006, aos 78 anos.

© 2017 por Memorial Gazola

Senso Comunicação Integrada

Rod. BR 116, 1018 - Petrópolis
Caxias do Sul - RS 

(54) 3041-1511

  • Videos
  • Facebook