a grande explosão de 1943

Na manhã de 22 de julho de 1943, uma violenta explosão, de causas desconhecidas até hoje, faz voar pelos ares o principal pavimento da nova fábrica, ocasionando a morte de seis operárias e deixando um saldo de 15 feridos. Entre eles, os jovens irmãos Henrique Gazola e Remy Gazola, de apenas 16 anos, que trabalhava na mesma mesa das vítimas. Ambos são socorridos pelo irmão mais velho, Ivo Antonio Gazola.

 

O desastre, ouvido até no centro de Caxias e arredores do bairro São Pelegrino, causa enorme comoção na cidade. Um velório coletivo é realizado na Catedral Diocesana, sob as bênçãos do bispo Dom José Barea.

 

O episódio também abala profundamente os dirigentes da Gazola Travi, que, posteriormente, são estimulados pelas autoridades militares e civis do Estado e da União a reconstruir o prédio e retomar a produção. O acelerado ritmo de trabalho segue até o término da Segunda Guerra Mundial, em 1945.

O antigo pavilhão da fábrica de material bélico, reconstruído e aumentado após a grande explosão de 1943. Data: início dos anos 1950. Foto: Studio Tomazoni Caxias. Imagem gentilmente cedida pelo Arquivo Histórico Municipal João Spadari Adami